DSC_0199

Aletheia é uma prática espiritual, não fundamentada em nenhum dogma religioso, que tem como foco o desenvolvimento de uma inteligência sensível, uma capacidade que nos alinha às necessidades de nosso corpo e alma e que nos auxilia a realizar escolhas mais autênticas e representativas da nossa interioridade.

Qual a proposta da Prática Aletheia para o seu tempo?

Apresentar a necessidade de uma nova cultura de consciência, inclusiva em relação a todas as emoções, principalmente aquelas que, historicamente, temos estabelecido uma relação excludente. Consideramos a exclusão como a semente de toda violência.

A constituição de uma individualidade saudável disponível a crescer através das relações e o reconhecimento da nossa semelhança fundamental enquanto humanos.

A quem se destina essa prática?

Todas as pessoas interessadas em autoconhecimento, saúde e equilíbrio, que buscam desenvolvimento, aprofundamento de consciência e conhecimento da estrutura psíquica humana.

Como acontece a prática?

O Método Aletheia é composto por um conjunto de princípios éticos que os praticantes se empenham em seguir no seu cotidiano e que, necessariamente, ocasionam movimentos transformadores na sua vida e em suas escolhas.

Em sua abordagem terapêutica, este método apresenta um conjunto de técnicas que auxiliam o praticante a se conectar com a sua natureza interna e perceber quais escolhas e posturas no seu dia a dia estão alinhadas a ela ou não. Isso se dá através do reconhecimento de acontecimentos no corpo sensibilizado.

O movimento mais simples do método é uma rotina de equilíbrio e harmonização, onde o praticante tem a possibilidade de se organizar internamente, sem a presença de um terapeuta, atento à relação psicossomática.

Outro movimento fundamental do Método é o chamado Movimento Básico do Curador, onde o terapeuta se coloca a serviço do praticante através do silêncio, em um espaço circular chamado de Fonte, e expressa através de movimentos do corpo os conteúdos psíquicos que estão em busca de integração na alma – corpo relacional do praticante. A própria exposição do praticante a estes conteúdos no decorrer do processo já proporciona uma dimensão curativa.

Qual o principal benefício para quem pratica?

O praticante desenvolve uma inteligência sensível que confere referências palpáveis no próprio corpo, constituindo um verdadeiro professor interno, que o auxilia na sua diferenciação por mérito de escolhas alinhadas com a sua própria natureza.